Consumo e Subjetividade do Neotribalismo aos circulos viciosos do consumo

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Thais Alves Marinho
Paolo Totaro

Resumo

Buscaremos, nesse artigo, realizar uma discussão bibliográfica, amparada em estudos empíricos. Procuraremos compreender na literatura atual, em que medida o consumo pode atuar tanto como força socialmente integradora, quanto como uma estratégia de diferenciação. No primeiro caso, o consumo parece reforçar as tendências em procurar uma cultura de comunidade mediante uma simbologia específica, como no “neotribalismo” ou na “performatividade” dos grupos marginalizados, fundada na lógica da distinção. No segundo, se mostra amparado num cálculo racional das diferenças de acordo com a lógica de produção e de manipulação dos significantes sociais, como indica o conceito de “sociedade de consumo”, gerando às vezes satisfação cíclica e, em outras, círculos viciosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MarinhoT. A., & TotaroP. (2019). Consumo e Subjetividade. Arquivos Do CMD, 6(2), 162-182. https://doi.org/10.26512/cmd.v6i2.26610
Seção
Artigos de Dossiês

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##