Loucura, Subjetivação e Gênero Uma Leitura do Caso do Hospital Psiquiátrico Adauto Botelho, em Goiânia

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ronivaldo de Oliveira Rego Santos

Resumo

Trata-se de fazer o que chamamos de aplicação do método arqueogenalógico sobre os procedimentos e representações da loucura em Goiânia, particularmente nos processos que envolvem o Hospital Psiquiátrico Prof. Adauto Botelho. Para chegarmos a esse ponto, traçamos uma problematização histórica do desenvolvimento da psiquiatria no Brasil e suas relações com as principais concepções da reforma psiquiátrica pelo mundo. Somente aí chegamos ao contexto de Goiânia. Problematiza-se ainda como a construção de Goiânia se situa na ordem do progresso e trabalho da Era Vargas e como ela pode representar, à época de sua construção, o ideal de modernização e civilização do homem brasileiro. Finalmente, discute-se o tema da loucura como modo de subjetivação e sujeição dos indivíduos e as questõs de gênero, a partir do caso do referido Hospital, mais especificamente a partir do documentário Passageiros da Segunda Classe, que retrata o dia a dia dessa instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SantosR. de O. R. (2019). Loucura, Subjetivação e Gênero. Arquivos Do CMD, 5(2). https://doi.org/10.26512/cmd.v5i2.22021
Seção
Artigos Livres

Referências

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: ______. Obras escolhidas. Vol. 1. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual do Programa “De Volta Para Casa”. Brasília, dezembro de 2003. Disponível em: http://www.ee.usp.br/departamento/nucleo/CComs/doc/de%20volta%20para%20casa.pdf. Acesso em: 06 de janeiro de 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: http://www.ccs.saude.gov.br/saude_mental/pdf/sm_sus.pdf Acesso em 06 de janeiro de 2017.

BRASIL, Câmara dos Deputados. Projeto de Lei nº 3.657. Dispõe sobre a extinção progressiva dos manicômios e sua substituição por outros recursos assistenciais e regulamenta a internação psiquiátrica compulsória. Disponível em: http://imagem.camara.gov.br/Imagem/d/pdf/DCD29SET1989.pdf#page=30. Acesso em 06 de janeiro de 2017.

CASTEL, Francoise, CASTEL, Robert, LOVELL, Anne. La sociedade psiquiátrica avanzada: el modelo norteamericano. Barcelona: Editorial Anagrama, 1980.

CHAUL, Nars Fayad. Marchas para o Oeste. In. SILVA, Luiz Sérgio Duarte da. Relações cidade-campo: fronteiras. Goiânia: Ed. UFG, 2000.

DEL PRIORE, Mary. Viagem pelo imaginário do interior feminino. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 19, n. 37,1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01881999000100009. Aceso em 13 de janeiro de 2016.

DESVIAT, Manoel. A Reforma Psiquiátrica. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2015.

ENGEL, Magali. Psiquiatria e feminilidade. In.: PRIORE, Mary Del (org). História das mulheres no Brasil. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2004.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. O poder psiquiátrico. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. 7 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Rio de Janeiro: Loyola

FOUCAULT, Michel. História da Loucura: na Idade Clássica. São Paulo: Perspectiva, 2014.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, conventos e prisões. São Paulo: Perspectiva, 1961.

HEINDRICH, Andréa Valente. Reforma Psiquiatrica à Brasileira: análise sob a perspectiva da desinstitucionalização. Tese (doutorado) – Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Doutorado em Serviço Social: Porto Alegre-Rs, 2007.

JORGE, Luis Eduardo; BARROS, Waldir Pina de; Kim-Ir-Sem. Passageiros da Segunda Classe. Goiás, 2001. 22 minutos, 16 mm. https://www.youtube.com/watch?v=ZFBpvFwP9hM.

LOBO, Sonia Aparecida. A constituição do eixo Goiânia-Anápolis. http://www.ifg.edu.br/observatorio/images/downloads/projetos/a_constituicao_eixo_goiania_anapolis.pdf

MACHADO, Roberto. Danação da norma: a medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1978.

NIETZSCHE, Friedrich. Crepúsculo dos Ídolos, ou, Como se Filosofa com o Martelo. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

NIETZSCHE, Friedrich. A gaia ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi; VELLOSO, Mônica Pimenta; GOMES, Ângela Maria de Castro. Estado Novo: ideologia poder. Rio Janeiro: Zahar Ed., 1982. 166 p. (Política e Sociedade)

PERIZZOLO, Juliana, et al. Aspectos da prática da eletroconvulsoterapia. In.: Revista de Psiquiatria RS, 25'(2): 327-334, mai./ago. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rprs/v25n2/v25n2a09.pdf. Acesso em 09 de janeiro de 2016, as 21 h.

PAULA, Éder Mendes. Os Sons do Silêncio: O louco e a loucura em Goiás [manuscrito] / Éder Mendes de Paula. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Goiás, Faculdade de História, 2011.

PORTOCARRERO. Vera. Arquivos da loucura: Juliano Moreira e a descontinuidade histórica da psiquiatria. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2002.

SANTOS, Segundo Sonia Ribeiro dos. Salud Mental em Goiânia: políticas Públicas, Prácticas Sociales y Discurso. Tesis doctoral. Universidade Pontificia de Salamanca, Espanha, Madrid, 2015.

SALLEH, Mohamed Abou, ET AL. Eletroconvulsoterapia: critérios e recomendações da Associação Mundial de Psiquiatria. In. Rev. psiquiatr. clín. vol.33 no.5 São Paulo, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpc/v33n5/a06v33n5.pdf. Acesso em 19 de dezembro de 2016.

VARELA, Drauzio. Entrevista com Márcia de Macedo Soares sobre Eletrochoque / Eletroconvulsoterapia. Disponível em: https://drauziovarella.com.br/entrevistas-2/eletrochoque-eletroconvulsoterapia/. Acesso em 19 de dezembro de 2016.

VIANA, Oliveira. Populações meridionais do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2005. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/sf000067.pdf. Acesso em 19 de dezembro de 2016.

ZANELLO, Valeska. Mulheres e loucura: questões de gênero para a psicologia clínica. In: ZANELLO, Valeska et al. (Org.). Gênero e feminismos: convergências (in)disciplinares. Brasília: ExLibris, 2010. p. 307-320. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/19654/1/CAPITULO_MulheresLoucuraQuestoesGenero.pdf. Acesso em: 14 de janeiro.