A invenção do centro histórico de São Luís/MA momentos decisivos

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Vinicius Dino Fonseca de Castro Costa

Resumo

O objetivo geral deste artigo é compreender o processo de invenção do centro histórico da cidade de São Luís, Maranhão, enquanto recorte espacial e paisagem urbana portadora de um valor de excepcionalidade. Busco interpretar a maneira como se deu historicamente esse processo de diferenciação, analisando a construção simbólica dessa excepcionalidade e alguns de seus efeitos e durações. Para tanto, tomo os sentidos atribuídos a essa paisagem urbana como nexos em uma dinâmica social de longo prazo, marcada por dois momentos decisivos. Nesse tramado sociocultural, procuro observar políticas da imagem que estão por trás da configuração atual do centro histórico de São Luís.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CostaV. D. F. de C. (2019). A invenção do centro histórico de São Luís/MA. Arquivos Do CMD, 5(2). https://doi.org/10.26512/cmd.v5i2.22019
Seção
Artigos Livres

Referências

ALBERNAZ, Lady Selma Ferreira. O “Urrou” do Boi em Atenas: instituições, experiências culturais e identidade no Maranhão. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

ANDRADE, Rodrigo Melo Franco de. Rodrigo e o SPHAN. Rio de Janeiro: Ministério da Cultura; Fundação Nacional Pró-Memória, 1987.

ANDRÈS, Luiz Phelipe de Carvalho Castro (Org.). Centro Histórico de São Luís – Maranhão: patrimônio mundial. São Paulo: Audichomo Editora, 1998.

ANDRÈS, Luiz Phelipe de Carvalho Castro. Reabilitação do Centro Histórico de São Luís: análise crítica do Programa de Preservação e Revitalização do Centro Histórico de São Luís/PPRCHSL, sob o enfoque da conservação urbana integrada. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Urbano) – Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.

ANDRÈS, Luiz Phelipe de Carvalho Castro. São Luís – Reabilitação do Centro Histórico – Patrimônio da Humanidade. São Luís: Foto Edgar Rocha, 2012.

BOURDIEU, Pierre. Meditações Pascalianas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre: Zouk, 2007.

CAFETEIRA, Epitácio. Reviver. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico, 1993.

CANTARELLI, Rodrigo. Inspetoria de Monumentos de Pernambuco (1928-1933). Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife, 2014. Disponível em:

CORRÊA, Alexandre Fernandes. Vilas, Parques, Bairros e Terreiros: novos patrimônios na cena das políticas culturais em São Paulo e São Luís. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2001.

CORRÊA, Alexandre Fernandes. Guerra das Imagens e Memórias Enxertadas: monumentos, museus e memórias históricas em conflito. Comunicação. VIII Seminário Internacional Políticas Culturais, Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, 23 a 26 de maio de 2017.

CHARTIER, Roger. “Prefácio - Formação social e economia psíquica: a sociedade de corte no processo civilizador.” In: ELIAS, Norbert. A Sociedade de Corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

DINO, Vinícius. A Invenção do Centro Histórico de São Luís/MA: sentidos de um lugar de memória. Monografia (Graduação em Ciências Sociais) – Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence. The Invention of Tradition. Cambridge: Cambridge University Press, 1983.

LOPES, José Antonio Viana. Capital Moderna e Cidade Colonial: o pensamento preservacionista na história do urbanismo ludovicense. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Urbano) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.

LEITE, Rogerio Proença de Sousa. Espaço Público e Política dos Lugares: usos do patrimônio cultural na reinvenção contemporânea do Recife Antigo. Tese (Doutorado em Antropologia) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

GRUZINSKI, Serge. A Guerra das Imagens: de Cristóvão Colombo a Blade Runner (1492 – 2019). São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

ELIAS, Norbert. Teoria Simbólica. Oeiras: Celta Editora, 1994.

ELIAS, Norbert. Envolvimento e Alienação. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

ELIAS, Norbert. A Sociedade de Corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

ESPÍRITO SANTO, José Marcelo. “Plano municipal de gestão: a revitalização do centro histórico de São Luís”. In: VARGAS, Heliana Comin; CASTILHO, Ana Luisa Howard (Orgs.). Intervenções em Centros Urbanos: objetivos, estratégias e resultados. Barueri: Manole, 2009.

FARIAS, Edson. “Tensões em um Projeto Civilizador Baiano”. In: Projeto UNESCO no Brasil: textos críticos. Organização: Cláudio Luiz Pereira e Livio Sansone. Salvador: EDUFBA, 2007.

FLORES, Richard R.. Remembering the Alamo: memory, modernity and the master symbol. Austin: University of Texas Press, 2002.

FONSECA, Maria Cecília Londres. O Patrimônio em Processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ/MinC-IPHAN, 1997.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere. Vol. 3. Edição e tradução: Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

IPHAN. Proteção e Revitalização do Patrimônio Cultural no Brasil: uma trajetória. Publicações da Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. N. 31. Brasília: MEC; SPHAN; Fundação Nacional Pró-Memória, 1980. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Protecao_revitalizacao_patrimonio_cultural(1).pdf . Acesso em 13/11/2017.

IPHAN. Cidades Históricas; Inventário e Pesquisa: São Luís. Brasília: Edições do Senado Federal; Rio de Janeiro: IPHAN, 2007.

LE CORBUSIER. A Carta de Atenas. São Paulo: HUCITEC; EDUSP, 1993.

MARX, Karl. Grundrisse. São Paulo: Boitempo, 2011.

MONDZAIN, Marie-José. Imagem, Ícone, Economia: as fontes bizantinas do imaginário contemporâneo. Rio de Janeiro: Contraponto; Museu de Arte do Rio, 2013.

NORA, Pierre. “Entre Memória e História: a problemática dos lugares”. In: Projeto História, São Paulo, V. 10, dez. 1993.

NORONHA, Raquel. No Coração da Praia Grande: representações sobre a noção de patrimônio na Feira da Praia Grande – São Luís – Maranhão. São Luís: EdUFMA, 2015.

RIBEIRO, Cecilia. “Viana de Lima em Missão da UNESCO no Brasil.” In: URBANA. Campinas, CIEC/UNICAMP, V.5, N. 6, mar. 2013.

SANT’ANNA, Márcia. “A herança do PCH: balanço crítico e desdobramentos 40 anos depois.” In: Anais do Museu Paulista. São Paulo. N. Sér. v.24. n.1. p. 59-74. jan.- abr. 2016.

SILVA, Georgia Patrícia. De Volta à Praia Grande: o “velho” centro com o “novo” discurso. Tese (Doutorado em Políticas Públicas) – Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas, Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2010.

SILVA, João Ricardo Costa. O Processo de Patrimonialização do Centro Antigo de São Luís: práticas patrimoniais desenvolvidas pelo poder público. Comunicação. ANPUH – XXV Simpósio Nacional de História - Fortaleza, 2009.

VELOSO, Mariza. O Tecido do Tempo: a ideia de patrimônio cultural no Brasil (1920-1970). Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade de Brasília, Brasília, 1992.

WEBER, Max. Economia e Sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva (Vol. 1). Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2012.