Você! Viu um carro alegórico, aí? Em Busca das Mediações Socioculturais de um Artefato Artístico

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ana Paula Alves Ribeiro
Edson Farias
Andre Luiz Porfiro

Resumo

Neste artigo, a finalidade de acompanhar o deslocamento dos carros alegóricos das escolas de samba do Grupo Especial, da Cidade do Samba, na Zona Portuária, até à Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio de Janeiro, contracena com interesse de revolver as condições nas quais se construiu o prestígio dessas peças cenográficas no carnaval da cidade. A luz das categorias de mediações socioculturais, reconhecendo-as partes de processos sociais, mas condicionados a contextos interacionais específicos, toma-se essas peças cenográficas como unidades habilitadas a constituírem dimensões subjetivas e institucionais. Com isso, dois planos empírico-analíticos são implicados: de um lado, os trabalhos requisitados nos transportes das alegorias; de outro, o fomento e consolidação de um círculo artístico específico às tarefas de concepção e execução dos projetos estéticos de realização dos carros. Articulam-se, no desenho metodológico que informa o ensaio, observação participante e a pesquisa com fontes secundárias (em particular, títulos na área das humanidades) e iconográficas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
RibeiroA. P. A., FariasE., & PorfiroA. L. (2019). Você! Viu um carro alegórico, aí?. Arquivos Do CMD, 5(2). https://doi.org/10.26512/cmd.v5i2.22018
Seção
Artigos de Dossiês

Referências

ADORNO, Theodor W. A Dialética Negativa. Rio de Janeiro: Zahar Editor, 2009.

BASTOS, João. Acadêmicos, Unidos e Tantas Mais: entendendo os desfiles e como tudo começo. Rio de Janeiro: Folha Seca, 2010.

BLASS, Leila Maria da Silva. Desfile na Avenida, Trabalho na Escola de Samba: a dupla face do carnaval. São Paulo: Annablume, 2007.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros Castro. “Formas do efêmero: alegorias em performances rituais”. ILHA v. 13, n. 1, p. 163-183, jan./jun. (2011) 2012.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros Castro. Carnaval carioca: dos bastidores ao desfile. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2006.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros De Castro. “As alegorias no carnaval carioca: visualidade espetacular e narrativa ritual”. Textos Escolhidos de Cultura e Arte Populares, v. 3, n. 1, 2006a.

CUNHA, Maria C. P. Ecos da Folia: uma história social do carnaval carioca entre 1890 e 1920. São Paulo: Cia das Letras, 2001.

FARIAS, Edson. “Diversidade Cultural e Entretenimento nas Ambiências Midiáticas do Espetáculo”. Política & Sociedade. Florianópolis – Vol. 16 - Nº 35 - Jan./Abr. de 2017

FARIAS Edson. O Saber Carnavalesco: criação, ilusão e tradição no carnaval carioca. Sociologia & Antropologia, 5(1), 207, 2015.

FARIAS, Edson. “O ethos hedonista-diversional nos contornos do mundo-sistema do entretenimento” In: Farias, Edson e Mira, Maria Celeste (orgs.): Faces Contemporâneas da Cultura Popular. Jundiaí: Paco Editorial: 2014.

FARIAS, Edson. O Desfile e a Cidade: o carnaval espetáculo carioca. Rio de Janeiro: E-Papers, 2006.

FERREIRA, Felipe. Inventando Carnavais: o surgimento do carnaval carioca no século XIX e outras questões carnavalescas. Rio de Janeiro: UFRJ, 2005.

PAMPLONA, Fernando. O Encarnado e o Branco. Rio de Janeiro: Nova Terra, 2013.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Carnaval Brasileiro: o vivido e o mito. São Paulo: 1992.

RODRIGUES, Ana Maria. Samba Negro, Espoliação Branca. São Paulo: Editora Hucitec, 1984.