Foco e Escopo

 

ARQUIVOS DO CMD é uma publicação semestral do grupo de Pesquisa Cultura, Memória e Desenvolvimento da Universidade de Brasília. Aceita trabalhos inéditos em publicações na área de ciências sociais, sob a forma de artigos, ensaios e resenhas de livros em ciências sociais. Excepcionalmente pode publicar relatórios de pesquisa, resenhas bibliográficas temáticas e entrevistas. A titulação mínima exigida para os autores é a de mestre. Excepcionalmente serão aceitas colaborações enviadas por mestrandos. Além de trabalhos em português, a revista aceita tambén contribuições em inglês e espanhol.

A decisão sobre a publicação cabe à Comissão Editorial, que se baseia na avaliação de especialistas pelo sistema blind review. Os editores reservam-se o direito de sugerir aos autores modificações de forma ou conteúdo a fim de adequar as colaborações ao padrão da revista. Eventuais modificações serão acordadas com os autores. Não serão admitidos acréscimos ou modificações depois que os trabalhos forem entregues para composição.

O envio espontâneo de qualquer colaboração implica automaticamente a cessão integral dos direitos autorais à Arquivos do CMD. As afirmações e conceitos emitidos nos trabalhos assinados são de absoluta responsabilidade dos seus autores.

 

 

Políticas de Seção

Editorial

Não verificado Submissões abertas Não verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

Apresentação

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos de Dossiês

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos Livres

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Memórias de Pesquisa

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Ensaios

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Arquivos do CMD

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenhas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Entrevistas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Filmografia

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Esboço de Letras

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

 

A avaliação dos artigos é feita por pares, pelo método Double Blind Review, onde cada artigo é avaliado por dois pareceristas especialistas na área com elevada titulação acadêmica. Por este sistema, os arquivos são avaliados sem a identificação de autoria.

AVALIAÇÃO

O processo de avaliação dos artigos submetidos ocorre em duas etapas, e passa por um sistema de revisão dupla (double blind review):

Primeira etapa: consiste em uma avaliação preliminar do Editor Chefe em conjunto com um membro do Corpo Editorial Científico, sempre que o Editor Chefe julgar necessário, que analisa a adequação dos trabalhos segundo a linha editorial da Revista, sua adequação ao escopo, e aspectos como contribuição e ineditismo do texto. Somente os trabalhos considerados por editores e conselheiros como relevantes para a comunidade e, em particular, para os leitores do periódico, prosseguirão para as demais etapas de avaliação.

Segunda Etapa: os originais dos artigos são encaminhados para a apreciação de dois pareceristas integrantes do Corpo de avaliadores, conforme o sistema blind review. Os critérios para a avaliação dos artigos levam em conta relevância do tema, originalidade da contribuição nas áreas temáticas da Revista, clareza do texto, adequação da bibliografia, estruturação e desenvolvimento teórico, metodologia utilizada, conclusões e contribuição oferecida para o conhecimento da área.

 

 

Periodicidade

A revista ARQUIVOS DO CMD é uma edição semestral.

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais...

 

Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

 

Só é permitido o download dos trabalhos publicados e o compartilhamento desde que atribuam crédito ao(s) autor(es), mas sem que possam alterá-los de nenhuma forma ou utilizá-los para fins comerciais.

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

Creative Commons License

 

 

 

Diagramação e Editoração

 

Diagramação: Thais Alves Marinho

Designer Gráfico: Pedro Ernesto

Preparador de Originais: Bruno Gontyjo e Maria Salete Nery

 

 

Digital Object Identifier (DOI)

O Digital Object Identifier (DOI) é um número aplicado a qualquer forma de propriedade intelectual (livro, periódico, artigo, resenha, capítulo de livro, imagem, anais, autor entidade, autor individual...) publicada em versão impressa ou eletrônica, comercial ou não. É um sistema para localizar e acessar materiais na web, sobretudo publicações em periódicos e obras protegidas por copyright, muitas das quais localizadas em bibliotecas virtuais.

 

Critérios Éticos sobre Plágio e Retratação

Seguindo o modelo SciELO, utiliza-se para a correção de problemas éticos de artigo científico, por exemplo, o plágio e problemas de autoria ou de não originalidade, a forma da retratação.  Deve-se apresentar o texto da retratação pelos responsáveis, com os seus motivos e, em seguida, o texto original completo, mantendo-se a mesma distribuição das páginas e, no sumário, iniciar o título com a expressão “[Artigo Retratado]”. O PDF do artigo deverá ter marcas em segundo plano com a expressão “Artigo retratado”. Esse processo deverá passar pela equipe de editores, a Comissão Editorial e a chancela de pelo menos três membros do Conselho Editorial.

 

Normalização de Citações e Referências Bibliográficas e Eletrônicas

 

CITAÇÕES

As citações deverão estar de acordo com o padrão da NBR 10520 (ABNT, 2001). Para as menções a autores, no correr do texto, recomenda-se o sistema autor-data.Exemplo: 
De acordo com Silva (1990, p. 58) ou ...(SILVA,1990,p.58).

REFERÊNCIAS

As referências devem conter exclusivamente os autores e textos citados no trabalho e ser apresentadas ao final do texto, em ordem alfabética, de acordo com a NBR 6023 (ABNT, 2002).O destaque do nome das obras deverá ser em itálico.Exemplo:

— Monografia

MATOS, K. C. de. Ministérios de mulheres em cartas paulinas: exegese e análise do discurso. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião). Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2006.

— Livro

ARAÚJO, E. A construção do livro: princípios da técnica de editoração. 20.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

— Artigo em revista com autor identificado

MATOS, K. C. Brasil e Portugal: diferenças e polêmicas de alguns pronomes. Estudos, Humanidades, Goiânia, v. 28, n. 3, p. 461-472, maio/jun. 2001.

— Artigo em jornal

DUARTE, S. N. Língua viva. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 6 ago. 2000. Suplemento literário, p. 5.

— Trabalhos disponíveis na Internet

DUARTE, S. N. Língua viva. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 6 ago. 2000. Disponível em: . Acesso em: 6 ago. 2000. 10.30.05.

 

 

Pagamentos de Taxas

Não há cobrança de taxas tanto para a submissão quanto para a avaliação de textos a serem publicados na Caminhos.

 

Histórico da Revista

O Grupo de Pesquisa Cultura, Memória e Desenvolvimento foi criado em 2002 na Universidade Federal da Bahia. Desde então, o grupo agrega pesquisadores cujo interesse comum tem se pautado nas várias maneiras como cultura e economia cada vez mais fazem duetos, repercutindo seja no plano das políticas públicas seja naquele da produção e do acesso aos bens simbólicos. Ou, ainda, no que diz respeito às maneiras como diferentes mediações participam da atualização de matrizes culturais, deixando margens para redefinir a cognição sobre os enlaces de tradição e modernidade; campo e cidade; erudito, popular e massivo; ocidente e suas alteridades étnico-históricas. Mas a ênfase tem sido posta continuamente nos chamados sistemas de práticas lúdico-artísticas em suas intercessões com os sistemas técnico-informacionais, com as dinâmicas e circuitos dos distintos mercados, com as razões do Estado-nação e, sobretudo, com as repercussões de todos esses aspectos nas permanências e nos remanejamentos próprios à esfera cultural.

Atualmente, o grupo se constitui em uma rede de 26 pesquisadores e mais 20 estudantes inseridos em 11 instituições de ensino e pesquisa distribuídas por diferentes unidades federativas e regiões brasileiras, tendo por sede o Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de Brasília. Ainda assim permanece em comum o mesmo traço nas tantas figuras assumidas pelo tema do mesmo e do diverso nas pesquisas desenvolvidas pelos integrantes do grupo; denominador comum este definido pela prioridade gozada pela questão da memória enquanto fator-chave. Ao consistir em um domínio psíquico-simbólico de coordenação e regulação das lembranças e dos esquecimentos, os estudos concluem sobre o quanto nevrálgico é o lugar da memória na distribuição do conhecimento inter-geracionalmente elaborado, anotando sua importância na exteriorização das intenções humanas. Logo, com efeitos no estabelecimento de cadências temporais vislumbradas tanto nos ritmos cotidianos marcados no controle auto-reflexivo dos impulsos corporais quanto na demarcação institucional do horizonte e também da profundidade temporal da existência individual e coletiva. Assim, os vários tratamentos procuram demonstrar até que ponto os diferentes equilíbrios e, também, as disposições entre forças sociais concorrem no tocante ao alcance do status de se tornarem autoridades no tocante a programar verdades, isto é, determinar critérios de certificação, retidão e veracidade segundo os quais, pelo filtro do seus respectivos eixos imaginários, específica época e estrutura sócio-simbólicas lidam analogamente com outras.

Diante do lugar heurístico ocupado pela memória, ganhou relevo na trajetória do grupo o debate teórico-sociológico acerca dos problemas do saber incorporado e da mimesis na correlação entre expressão e comunicação em contextos de modernização. Considerando os últimos enquanto contextos de mudança histórica nos quais a passagem do tempo não apenas se torna objeto de reflexão a respeito dos legados do passado, mas se insere seja como recurso na orientação de condutas seja na elaboração de estilos de vida e, ainda, na demarcação de patrimônios materiais e intangíveis. Deste modo, as linhas de pesquisa implementadas têm por objeto as mais diferentes facetas das interseções de memória, cultura e desenvolvimento nos desdobramentos da economia simbólica aninhada na estrutura urbano-industrial e de serviços. Com isto, o núcleo dos estudos são as convergências históricas possíveis entre expressões humanas e suportes técnicos de visibilização, com seus antecedentes e repercussões sócio-civilizadores. São destacadas as práticas lúdico-artísticas, esportivas e religiosas entretidas nos agenciamentos de símbolos de pertencimento étnico, geracional e gênero na interface com o poder estatal e à trama das agências internacionais, com a economia capitalista e às redes tecnológicas e institucionais informático-comunicacionais. Triangulação na qual são forjados circuitos de produção e consumo de bens de informação, mas dispostos em diferentes arranjos e escalas sócio-geográficas e culturais, onde as disputas por reconhecimento pautam disposições e linguagens, no ajuste tanto com fórmulas pelo incremento quanto nas lutas pela distribuição da riqueza nas sociedades consumidoras.

A Revista Arquivos do CMD nasce em 2013 com o intuito de divulgar resultados de pesquisas científicas na área de Ciências Sociais. Tem como público alvo pesquisadores, professores e estudantes de Ciências Sociais. Aceita trabalhos inéditos em publicações brasileiras, sob a forma de artigos, ensaios e resenhas de livros em Ciências Sociais. Publica também relatórios de pesquisa, resenhas bibliográficas temáticas e entrevistas, tanto em português, espanhol ou inglês.